Logo Web Radio Água

Você está aqui:Início/CONTEÚDOS/MUNDO ÁGUA/Boas Práticas/Chuva Online: projeto da USP indica condições meteorológicas em tempo real

MUNDO ÁGUA

Qui, 26 de Fevereiro de 2015 12:34

Chuva Online: projeto da USP indica condições meteorológicas em tempo real

Escrito por  Vacy Alvaro

Realizar o monitoramento meteorológico da Região Metropolitana de São Paulo e dessa maneira auxiliar a comunidade e as autoridades a minimizarem os prejuízos decorrentes de desastres naturais. Estes são os principais objetivos do projeto Chuva Online, desenvolvido pelo Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG), Centro de Estudos e Pesquisas de Desastres (CEPED) e Universidade de São Paulo (USP) em parceria com a Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) e Instituto de Física (IF). 

Na iniciativa são utilizados dois mini radares e os dados obtidos ficam disponíveis online em tempo real. Cada um destes equipamentos custa cerca de R$ 300 mil, bem menos que os convencionais que chegam a ser comercializados por até R$2 milhões. Embora a tecnologia seja nova no Brasil, sua eficiência já pôde ser comprovada em outros países, como na Itália por exemplo onde os mini radares são utilizados no monitoramento de recursos hídricos e no acompanhamento do trânsito. 

A relação custo-benefício e a portabilidade deste tipo de radar estão entre os principais diferenciais do projeto, conforme explica Carlos Morales, coordenador da iniciativa e professor do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da USP: 

“O Chuva Online é uma resposta a uma necessidade do estado de São Paulo de monitoramento de chuvas em alta resolução, principalmente para detecção de condições atmosféricas que possam levar a deslizamentos e enchentes em algumas regiões do estado de São Paulo, particularmente nas encostas do nosso litoral. Diante desse processo verificamos que a instalação de radares meteorológicos convencionais inviabilizariam o monitoramento, uma vez que esses equipamentos são extremamente caros e não estaríamos utilizando mais que 10% ou 20% do seu potencial, dada a localização geográfica onde teríamos que colocar esses equipamentos. Um sistema de monitoramento via radar é extremamente oneroso porque é um equipamento que custa entre R$1,5 milhão a R$2 milhões, e ainda tem toda a infraestrutura, seja ela de obras físicas ou seja de operação porque precisa contratar energia especial para isso (estes sistemas utilizam de 10 kVA - kilovoltampere - para cima de energia). Então o que acontece é que eu tenho um custo muito grande e para cidades de pequeno e médio porte isso se torna um pouco inviável, uma vez que a estação de chuvas fica concentrada à época do verão. Então o que acontece? Durante parte do ano ele não fica operando”. 

O projeto Chuva Online foi criado a partir de um acordo de cooperação entre a Universidade de São Paulo (USP) e a Defesa Civil. A universidade é responsável por pesquisar e desenvolver diversas tecnologias de monitoramento meteorológico, enquanto que a Defesa Civil as coloca em prática.

“O nosso projeto Chuva Online acaba fomentando informações. Todas as nossas informações são públicas, de domínio público, então todos os usuários pode acessar e ver essas informações. Para a Defesa Civil a gente acaba fazendo um trabalho a mais que é fazer alguns totais de acumulação no tempo para determinadas regiões que são suscetíveis a ter alagamentos e inundações. Monitorando continuamente com alta resolução espacial conseguimos identificar se uma determinada região de uma rua, avenida, parque ou bairro, está chovendo mais que o outro. E uma vez que você tem essas informações, é possível correlacionar e identificar os pontos de alagamento, de inundações (recorrentes ou não, ou instantâneos) e verificar o que está ocorrendo naquela região. Essa é a ideia do projeto: tentar trazer uma informação mais detalhada para identificar se é possível melhorar os sistemas de alerta ou de mapeamento dessas regiões que constantemente são inundadas para você ver o que tem que fazer”. 

Por ser promovido em uma universidade, o projeto Chuva Online permite testar todos esses novos conceitos ao mesmo tempo em que se desenvolve novas tecnologias que podem ser incorporadas em empresas privadas, bem como no treinamento de recursos humanos, área em que o Brasil ainda apresenta uma grande carência. 

Entre os possíveis setores indicados para a utilização do sistema estão a agropecuária, empresas de geração de energia e o ramo de telecomunicações. Para saber mais sobre o projeto, acesse o site www.chuvaonline.iag.usp.br


Última modificação feita em Ter, 17 de Março de 2015 11:29
Avalie este artigo
(0 votos)
Vacy Alvaro

Vacy Alvaro

Jornalista/Fundação Parque Tecnológico Itaipu

Redes Sociais

  • Facebook: webradioagua
  • Linked In: webradioagua
  • Orkut: 15823632741848208134
  • Twitter: webradioagua
  • YouTube: webradioagua

Centro Internacional de Hidroinformática | Parque Tecnológico Itaipu
Av. Presidente Tancredo Neves, 6731 | CEP 85.867-900
Foz do Iguaçu | Paraná | Brasil
+55 45 3576-7038

 

2018 • Todos os Direitos Reservados